Está sem tempo para ler? Aperte o reproduzir abaixo e ouça o post em áudio!

A primeira vez do Pedro no Beto Carrero World aconteceu quando ele tinha 3 anos e 8 meses, pois antes disso achávamos que ele não teria idade (e altura) suficiente para poder aproveitar essa experiência.

Nosso passeio aconteceu no mês de outubro de 2016, um mês em que o parque costuma ser bastante visitado, por ser o mês das crianças. Fomos num domingo, acreditando encontrar um parque menos cheio, o que não aconteceu… Embora no sábado o número de visitantes costuma ser maior, muitas famílias fazem passeios de dois ou mais dias ao Beto Carrero, o que faz com que os domingos também sejam lotados. De toda forma, é um passeio incrível para crianças e adultos, e mesmo que você só tenha um dia para visitar o parque pode ter certeza de que irá conseguir aproveitar muita coisa. Apenas recomendo programação e paciência com as filas.

Nosso mini-roteiro de um dia no parque foi assim:

Chegamos cedo e logo que o parque abriu já estávamos lá – isso garante menos tempo nas filas. Logo na entrada ficam alguns monitores medindo a altura das crianças e colocando pulseiras de identificação correspondente à altura (isso também te poupa tempo nos brinquedos, pois vários deles exigem altura mínima). Só para dar uma ideia, o Pedro mediu lá 1 metro de altura e já foi possível ir em vários brinquedos!

Levamos um mapa que retiramos na pousada onde nos hospedamos, o que facilitou muito nosso deslocamento pelo parque. A dica aqui para quem vai com crianças é começar o passeio pelo lado esquerdo do parque, que é onde estão a maioria dos brinquedos para crianças menores. A partir daí, vá seguindo no sentido horário para conhecer o parque  (você se livra da muvuca dos brinquedos radicais com filas quilométricas que estão ao lado direito da entrada, logo pela manhã).

O Parque é divido em setores, sendo que o primeiro que visitamos foi o TRIPLIKLAND. Aqui o Pedro brincou no carrossel, baby elefante, roda-gigante e nas xícaras malucas (o top campeão!). Em alguns brinquedos foi possível ir novamente no final do dia, já que praticamente não haviam filas.

fonte: https://www.betocarrero.com.br/atracoes/xicaras-malucas

Depois fizemos uma visita à ILHA DOS PIRATAS, e de lá para a VILA GERMÂNICA. Almoçamos cedo na praça de alimentação da AVENIDA DAS NAÇÕES, o que nos garantiu um almoço mais tranquilo. Uma paradinha no carrossel veneziano que há dentro da praça de alimentação é uma boa pedida para as crianças.

Um brinquedo perfeito para se ir logo depois do almoço é o passeio de trem na DINO MAGIC. Não é radical e as crianças se divertem muito, especialmente com a encenação do assalto ao trem e na caverna dos dinossauros.

Na sequência fomos conhecer MADAGASCAR e o MUNDO ANIMAL. As crianças ficam enlouquecidas com os personagens e com os animais. Fizemos uma hora por ali, tomamos um sorvete, e depois fomos assistir ao Madagascar Circus Show. Os shows tem hora marcada para começar e costumam ser pontuais e lotados, por isso é importante chegar cedo. Recomendo muito que reservem um horário do seu passeio para assistir ao show, é fantástico e as crianças piram!

Ainda passeamos de teleférico, conhecemos a parte da AVENTURA RADICAL (brinquedos radicais como a big tower e star moutain) e a área do VELHO OESTE. Depois de várias tentativas e muita fila conseguimos ir no Raskapuska, e terminamos o dia lá pelas 18h voltando aos brinquedos da TRIPLIKLAND, que foram os favoritos do Pedro. A essa altura já estávamos todos mortos de cansados, afinal, o parque é gigante e se caminha muito entre uma atração e outra, por isso decidimos encerrar o passeio por ali.

Dicas legais que recebi e compartilho:

– usem roupas leves e tênis. Se forem em épocas de meia estação, como nós, se vistam em “camadas” (camiseta de manga curta por baixo e um cardigan ou casaquinho leve por cima). De manhã cedo e final de tarde era friozinho, mas durante o dia foi quente. Aí, é só colocar ou tirar o casaquinho conforme a temperatura.

– na mochila, levei e usei: filtro solar (reaplicamos várias vezes), toalha pequena de mão, frasquinho de álcool gel, lenço umedecido, bonés e óculos de sol, protetor labial, um pequeno lanche. Para as crianças levem uma troca de roupa a mais, e quem quiser ir nos brinquedos que envolvem água (não foi nosso caso – só fomos no Raskapuska, mas não há banho no final, fiquem tranquilos), recomendo levar um saco plástico para envolver a mochila e roupa extra, porque molha mesmo! Também vi algumas pessoas com cangas de praia estendidas nos gramados, uma super dica pra quando ficarem cansados de tanto caminhar e não encontrarem banco para sentar.

Sobre carrinho: no parque existe a opção de aluguel. Não utilizamos porque o  Pedro não curte mais carrinho e aguenta caminhar bem, mas confesso que no final do dia ele já estava pedindo colo, tamanho o cansaço. Então, avaliem a possibilidade de alugar um carrinho para a criança descansar.

No final, a gente só pode dizer que o passeio foi incrível, tanto nós quanto o Pedro nos divertimos muito, e claro, ficou um gostinho de quero mais.

Se quiser saber mais sobre Beto Carrero World com crianças de cinco anos, não deixe de ler aqui!

Gostou? Compartilhe!

Siga Mãe Ligada também nas redes sociais: Instagram, Facebook e Pinterest.

( Atualizado em: 30 de agosto de 2019 )
Compartilhar: