Está sem tempo para ler? Aperte o reproduzir abaixo e ouça o post em áudio!

Ser uma mãe cansada é perfeitamente normal, já que as obrigações com os filhos nos tomam muita energia. Mas quando o cansaço vem acompanhado de outros sintomas importantes, é necessário investigar a possibilidade de algo mais, como a síndrome de burnout materno, ou burnout parental.

Comumente atribuída ao âmbito profissional, a síndrome de burnout se constitui num esgotamento mental, sensação de exaustão, tensão constante e estresse crônico gerados no exercício da atividade profissional. O trabalhador sofre um desgaste tamanho que simplesmente “pifa”, necessitando muitas vezes de um afastamento do trabalho para poder se tratar.

De uma forma semelhante é o que acontece no burnout materno. A mãe completamente sobrecarregada pelas tarefas e rotina materna, experimenta um estress tamanho que lhe leva à exaustão. Com isso é comum que essa mãe perca o interesse nas coisas que antes lhe agradavam, se sinta extremamente cansada, desmotivada para buscar outras atividades além da maternidade. É como se as tarefas do dia-a-dia lhe consumissem e sufocassem tanto, a ponto de não conseguir fazer ou pensar em mais nada além disso.

Já falei sobre a carga mental que assombra as mulheres mães, e o quanto ela pode contribuir para o esgotamento máximo que se configura no burnout materno.

É que além do cansaço pela rotina extenuante, existem as expectativas dessa mãe, e suas frustrações por não dar conta de tudo. O “ideal da maternidade perfeita” nos assombra, nos exige e nos diminui, trazendo a sensação de fracasso diante de alguma falha. Com isso abrem-se as portas para as cobranças internas, as comparações, e o sentimento de incapacidade, o que gera um campo propício para o desenvolvimento da síndrome de burnout materno.

Por isso é importante que aos primeiros sinais de que algo não vai bem, a mãe cansada peça ajuda. Compartilhar as tarefas da casa com o marido, é um bom começo. Aceitar que não dar conta de tudo faz parte da vida e não nos torna mães piores para nossos filhos, apenas mães mais humanas.

Ter relações e amigas “fora da caixa” da maternidade, conversar sobre outros assuntos de vez em quando, sair um pouco de dentro do círculo fralda-chupeta-mamadeira e afins é fundamental para manter a sanidade e revigorar a alma. Limpar a cabeça das preocupações da maternidade vez ou outra  é mais do que importante, é essencial.

Tirar um tempo para si mesma também é importante. Por mais que pareça que não, acredite, seu filho sobreviverá sem você por algumas horas. Então aproveite para: fazer uma atividade física, dar um passeio, fazer as unhas, ler um livro em silêncio, tomar um café com uma amiga ou mesmo dormir uma hora a mais de sono. Com pequenos ajustes na rotina é possível encontrar espaço na rotina do dia para estes momentos que vão fazer muito bem para esse mãe cansada e também para toda a família, que terá uma mamãe muito mais tranquila e feliz.

Siga Mãe Ligada também nas redes sociais: Instagram, Facebook e Pinterest.

( Atualizado em: 29 de agosto de 2019 )
Compartilhar: