Está sem tempo para ler? Aperte o reproduzir abaixo e ouça o post em áudio!

Ter um quadro de incentivo pode ajudar com o comportamento da criança

Depois que escrevi no Instagram sobre o quadro de incentivo e conquistas do Pedro, algumas mães quiseram saber melhor como isso funciona. Então achei que seria interessante fazer um post para explicar como eu faço por aqui.

Crianças pequenas são extremamente visuais, de modo que usar de elementos concretos e palpáveis para ensinar regras e combinados pode surtir muito mais efeito do que simplesmente explicar verbalmente. Não por outra razão as salas de aula de educação infantil são lotadas de referências visuais para as crianças: calendários (já mostrei o do Pedro aqui), chamadinha colada na parede, previsão do tempo, letras do alfabeto e números, são alguns exemplos de referências muito encontradas em salas de aula.

A ideia do quadro de incentivo consiste basicamente no reforço positivo, ou seja, você parabeniza a criança pelo seu esforço por ter alcançado alguma meta previamente combinada. Quando ela não atinge o objetivo, jamais deve ser punida – mas deve-se explicar a ela que toda ação tem sua consequência, e que por ela não ter se esforçado o suficiente não ganhará a recompensa nesse momento. Que ela deve continuar se empenhando para atingir as metas de comportamento, e quando isso acontecer, ela será recompensada.

O método funciona porque toda mudança de padrão de comportamento necessita de algum incentivo para ser estabelecida – isso é assim com os adultos também, sabia? Quem nunca precisou de um incentivo a mais para seguir firme na dieta? Estar magra no dia da sua formatura ou casamento é um exemplo de incentivo usado por muitas mulheres para não cair nas tentações de furar a dieta!

Quando a criança está condicionada a ter algum comportamento inadequado, dificilmente irá mudá-lo só porque você pediu – ou brigou. Mas, se você estrategicamente negociar com seu filho essa mudança de comportamento, explicando como você deseja que ele se comporte e mostrando a ele os benefícios dessa mudança, inclusive combinando uma recompensa por seu esforço, o cérebro dele vai ficar muito mais condicionado a se empenhar para que a mudança aconteça. Com o tempo e com a repetição do comportamento adequado, isto tende a se tornar natural para a criança, de modo que ela não mais necessitará de nenhum prêmio para atingir a meta, tornando-se algo natural.

Por aqui negociamos sempre os comportamentos que precisam ser trabalhados ou melhorados no momento, e mantemos no quadro até que esteja totalmente adquirido. Quando não for mais um comportamento problema, é retirado do quadro e pode dar lugar a outro, de acordo com a necessidade. Combinamos uma pequena recompensa diária e uma maior semanal, que ele só receberá se atingir as metas estipuladas. No nosso caso, combinamos que deverá receber carinhas verdes ou, no máximo, duas amarelas. Se receber três amarelas ou uma vermelha, não ganha a recompensa semanal.

Depois de muitas pesquisas, criei o quadro assim:

No Word mesmo fiz uma tabela com os dias da semana e espaço para colocar as tarefas, que são os comportamentos que ele precisa melhorar. Plastifiquei a folha e as carinhas coloridas, que são dadas conforme ele cumpre ou não a tarefa. Colei velcro adesivo nos campos dos dias e nas carinhas, que são coladas por ele diariamente. O campo das tarefas é preenchido com caneta escreve-apaga, e vamos mudando conforme a necessidade do momento.

Dicas de comportamento que podem ser negociados: fazer as tarefas, guardar os brinquedos, tomar banho sozinho, experimentar um alimento novo, não brigar com o irmão etc… Estabeleça uma recompensa semanal que seja do interesse da criança e firme o acordo!

Dica: para me ajudar a ter ideias de recompensas legais (a recompensa não precisa ser algo material, nem caro) usei essa cartela linda com vouchers do reconhecimento da BBDU que comprei numa loja de brinquedos pedagógicos.

Nela você escreve o que foi combinado com a criança, todos assinam como se fosse um documento – é o seu acordo com ele – e fica num local visível da casa, como a geladeira (ela possui um imã atrás). Peço para o Pedro escolher qual a recompensa que ele quer ganhar naquela semana, ele destaca o cartão correspondente e colamos no espaço reservado para isso no quadro de incentivo. Dali pra frente fica valendo o nosso acordo. O passeio especial que está na foto acima, por exemplo, ele levou três semanas para ganhar! Como não estava atingindo as metas, eu ia explicando que ele precisava se esforçar um pouco mais para merecer a recompensa. Finalmente, no último final de semana, ele conquistou por merecimento seu prêmio e escolheu um passeio no Shopping. Ficou muito orgulhoso por ter conquistado sua recompensa!

Cuidados importantes

A ideia aqui é sempre recompensar o esforço da criança para atingir a conquista. Mostrar que ela fez por merecer a recompensa, que ela se empenhou, se dedicou, e por isso atingiu o objetivo que era o comportamento. Com isso, todos ficaram felizes e ela mereceu ser recompensada.

Não use o prêmio semanal como suborno. Frases do tipo: “você só vai passear no Shopping se fizer as tarefas da escola”, são formas equivocadas de usar a estratégia, e condicionam a criança a só fazer algo esperando receber um prêmio em troca.

A maneira correta de utilizar o quadro de incentivo é explicando para seu filho que toda atitude tem uma consequência, que pode ser legal ou não. Que quando cumprimos nossos deveres todos ficam felizes, e que ele deve se orgulhar de se esforçar para fazer o que precisa ser feito. No caso das tarefas escolares, por exemplo, explique que é um compromisso dele, que ninguém poderá fazer em seu lugar. Que quando ele faz as tarefas ele aprende mais, a professora fica feliz por ele ter se dedicado, o papai e a mamãe ficam felizes e orgulhosos com o seu esforço, e para recompensar toda a dedicação dele, e mostrar o quanto estamos felizes por ele ter conseguido cumprir sua meta, ele vai merecer ganhar um passeio especial no Shopping.

Percebe a diferença? No primeiro exemplo ele só fez para receber o prêmio. No segundo, ele só recebeu o prêmio porque se esforçou, se dedicou, por que fez por merecer a recompensa.

Aos que criticam essa estratégia, eu costumo comparar com o seu salário. Imagine que você trabalhou corretamente o mês inteiro, não faltou nenhum dia, cumpriu seus horários, se dedicou, entregou todas as suas metas, logo, você merece receber seu salário corretamente ao final do mês. Esse era o combinado com seu chefe não era? Ele não está lhe fazendo nenhum favor ao pagar o seu salário, pois você cumpriu a sua parte no combinado.

Com o quadro de incentivo e o sistema de recompensa por tarefas, você está ensinando valores muito importantes para a criança: que temos que cumprir aquilo que combinamos, que todas as atitudes têm consequências, que quando nos comportamos bem e cumprimos os combinados somos recompensados, que precisamos nos esforçar para ter reconhecimento… Enfim, eu vejo muitos pontos positivos nessa estratégia, tanto que uso muito por aqui.

Ficou com alguma dúvida? Já usa o quadro de incentivo na sua casa? Conta pra mim, vou adorar trocar umas ideias por aqui.

Gostou? Compartilhe!
Siga Mãe Ligada também nas redes sociais: Instagram, Facebook e Pinterest.

( Atualizado em: 30 de agosto de 2019 )
Compartilhar: